Março 01 2011

 

 

Mais um dia de encantar

Com um Sol de Primavera

Nesta Ria à beira-mar

Onde a natureza impera

 

Parecem num balouçar

As marés da minha Ria

Maré-cheia, baixa-mar

Todo o sempre, noite e dia

 

Num vai vem, que não descansa

Sem folgas, nem dias Santos

Porém, sem perder a esperança

Há vida em todos os cantos

 

Deito Saudades na Ria

Que as águas levam pró Mar

Tão cheias de Fantasia

Deixam ondas a brilhar

 

 

Em noites de Lua cheia

Em horas de baixa-mar

Parto, cheio de ilusão

 

Vou procurá-las na areia

Na esperança de as encontrar

Envoltas numa oração

 

publicado por severino às 22:15

Lindo este hino à Primavera!
Posso utilizar numa das minhas fotos?

Beijos
Manu
Existe um Olhar a 2 de Março de 2011 às 16:34

Olá Manu
Utilizar ? não há direitos de autor!...Mas por singela e simples por certo vai retirar mérito e discurso às tuas fotos, que tanto dizem por si.
Um beijo
j/severino
severino a 2 de Março de 2011 às 19:46

Olá Severino!
Muito bonito o seu poema feito à Primavera...
Um abraço
Rosinda
Rosinda a 2 de Março de 2011 às 17:11

Olá boa Amiga

Este blog infelizmente, nos últimos tempos só tem tido uma interlocutora.,a única que acha sentido ao que aqui tenho postado.
Este último Post já sai um pouco dessa guerrilha inesperada.
Espero que não surjam novas provocações.
Agradeço a sua visita
Resto de boa Semana
Um abraço
J/severino
severino a 3 de Março de 2011 às 00:48

mais sobre mim
Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO