Junho 03 2011

A vaidade tem limite

A arrogância também

Sempre que não evite

As ofensas a alguém

1-

Insistir ou reafirmar

Essa prática vigente

No que disse e no que sente

Vem isso mesmo atestar

Dentro dessa teimosia

Que persiste tadavia

De uma forma coerente

Sem que dúvida suscite

Parece um pouco demente

 E...A vaidade tem limite !

2-

È jogo de "cabra cega"

E próprio de quem não nega

Nem tem arrependimento

De tanta ofensa contida

Presente no sentimento

À vista, não está escondida,

Ei-la sempre apregoada

Não pôe na boca de outrem

Por isso aqui censurada

A arrogância também

3-

Continuar nesse caminho

Ou seguir outro pondera

No sentimento mesquinho

Nesse seu "dom" desespera

Mas Esse diz, não altera

Mesmo com olhos vendados

Não vê aí passos mal dados

Ainda que não exite

A maldade nos recados

Sempre que não evite

4-

Os "Eus"por metro quadrado

Num alguém quando o assume

É a "fogeira" sem lume

De auto retrado ampliado,

Não cabe nesta moldura

Por excesso de vaidade

Em falta nessa mistura

está ausente a humildade

São férteis nessa figura

As ofensas a alguém

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por severino às 11:05

mais sobre mim
Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


pesquisar
 
blogs SAPO