Junho 17 2010

Voltei hoje a encontrá-la, simples, bela, segura como sempre a imaginei, com o mesmo sorriso encantador como na adoslecência,apesar das décadas já passadas.

A nossa separação aos 13 anos, a pouco menos de um ano da morte da minha mãe, acentuou mais a sua falta e dessa data em diante edifiquei-a no meu imaginário como único refúgio, sonhava-a quase a cada dia, como se a tivesse próximo. Ela para mim era a perfeição a alegria e o seu semblante gaiato, bondoso sempre sorridente preenchia todo o vazio de orfandade em que havia caído. Passados alguns anos cheguei a temer encontrá-la, esquecida da nossa relação, porque mantinha-a mais amada que nunca a cada ano que passava e nos momentos de solidão era  Ela que me envolvia nos meus sonhos.

Conheci aos 28 anos a minha companheira da vida real, mas sem que me sentisse infiel, nunca a esqueci e nos periodos de ausência em Angola,Moçambique e Guiné,na minha vida de militar, era Ela a minha companhia,que sempre presente, quase como uma imagem de adoração religiosa.

Hoje casualmente cruzamo-nos numa das ruas mais concorridas da cidade, convidei-a para tomar um café, numa esplanada junto ao rio e lá conversámos cerca de hora e meia sobre o decorrer das nossas vidas. Falou-me que esteve emigrada em Marrocos e na Venezuela, falou-me com adoração dos filhos e netos, enfim, parece-me feliz enamorada da vida.

Espero nunca ter a coragem de lhe revelar tudo o que ela constituiu para mim ao longo de tantos anos e mantê-la nos meus sonhos hoje com um sentimento de amizade que a sua presença me proporciona cimentado ao longo da vida, naquele sublime amor de infância.

Os seus cabelos grisalhos, denunciam-lhe o passar dos anos, mas no seu rosto a confiança, a bondade e o  sorriso transpiram  felicidade.  

publicado por severino às 23:14

Bom dia Severino!
Uma bela história de amor... desencontrado. Ou talvez não! Sendo assim tão espiritual, não será aféctado por coisas externas ao sonho que criou.
Talvez ela seja o seu "anjo"
Abraço
Rosinda a 18 de Junho de 2010 às 08:35

È quase um encantamento religioso, que parece fazer parte do meu ADN, talvez fruto da minha timidez enquanto jovem interiorizei e mantenho...como diz talvez um anjo,sonhado e fantasiado, mas ainda assim feliz pela adoração sentida.
Bom fim de semana e um abraço
severino a 18 de Junho de 2010 às 23:44

O amor que nos marcou nem sempre e o final que esperamos.Para uns pode ser que sim, mas para outros ainda não e hora.
Ha outros mores, mas nunca iguais
Severino,agradeço seu comentario ao meu cantinho,volte spre que quizer, e bemvindo
Mas a questao acho que nao passa,por ter paciencia ou nao, ate tenho muita felizmente.
Passa por ter menos horas de sono e as poucas que tem ser um castigo a adormecer e preocupa me
Desc descordar, mas assim o penso
De qq maneira obrigada pela opinao de avô
Avô e ser pai pela 2 vez
Um abraço...e boa semana
luadoceu a 22 de Junho de 2010 às 14:35

Obrigado pela sua visita. Já tinha passado pelo seu espaço onde constatei a sua resposta à minha intervenção.
Tenho acompanhado o dia a dia da sua princesinha, através dos seus relatos. As crianças enquanto não se sabem expressar, é muito dificil saber o porquê dos queixumes,que nestas idades os dentinhos e as otites são o que mais frequentemente as afligem.

Boas festas de S.João
Um abraço
severino a 22 de Junho de 2010 às 22:33

adorei o poema que deixas-te no meu blog es sem duvida um ser com uma alma
muito Grande e um grande Versista tenho muita consideração por suas palavras.beijinho

e adorei esta história
amei quem me dera ter reencontros destes...
BEIJÃAAAAAAAAAAO

Mas isto é uma realidade, que, por vezes quase me envergonho de revelar. Estou aos poucos a saber que também me guardou durante anos, em sintonia com a adoração com que sempre a sonhei. Sem que isso nos desperte loucuras da juventude e hoje convertida numa religiosa amizade, é consolador a lembrança tão viva que me relata, de episódios dos nossos tempos de escola.
Sinto como que a linha do destino se me tivesse partido naquela idade e agora tivesse reencontrado a outra ponta para a completar e sentir-me agora sim confortado.

Foi bom tê-la guardado.

Um abraço
severino a 25 de Junho de 2010 às 12:44

Gostava de poder escrever este post... há reencontros que deveriam acontecer mesmo.. porque muitas vezes ficaram muitas por dizer....

Abraço

Jorge
Jorge Soares a 21 de Junho de 2011 às 23:43

Sabe Jorge, por incrivel que pareça, isto aconteceu. Vemo-nos com muita frequência e até já descobrimos mais três ex-alunos daqueles tempos. Temos uma vivência quase familiar, até porque uma irmã mais nova e uma prima Dela, completam uma amizade fantástica. Até hoje mantem-se a beleza e o mistério que sempre representou para mim.


Um abraço

J7severino
severino a 23 de Junho de 2011 às 00:28

mais sobre mim
Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
18
19

20
21
22
23
24
25

27
29
30


pesquisar
 
blogs SAPO