Julho 16 2010

Nos tempos que o tempo tem

Há muitos que não conheço

Assim quando me convem

A tempo... desapareço

 

Mas se esse tempo me agrada

E domino  os sentimentos

Regresso em força à jangada

Utilizando os "três tempos"

 

Folheando nos meus tempos

No tempo que a vida passa

Vejo que o tempo sem graça

Está preso de movimentos

 

No tempo dos desalentos

Neste livro ali bem perto

Está há tempos no deserto

Sem tempo para lamentos

 

Dos tempos esta mistura

Nenhum deles é igual

Daí aquela figura

Deste grande temporal

 

 

 

 

publicado por severino às 13:20

Ola
Desde ja bom fds
Devia ter participado em tempos num desafio chamado tempo,proposto por determinada pessoa
Tem jeito para falar de tempo,eu la me desenrasquei,bem ao mei jeito

Os tempos sao dificies
E nunca sabemso o que o tempo nos traz
Mas e com ele que temos de lidar
Para mais tarde com o tempo recordar

E la rimei...ehehehe

Um abraço
C esta?
luadoceu a 16 de Julho de 2010 às 15:37

Lua do Ceu e Princezinha
Agora em tempo de férias
Brincam na Areia fininha
Esquecidas das lides sérias

Só falta o cão e o gato
Nesse extenso areal
O Marido que está grato
Ao lado, feliz por igual

Nessas férias que adivinho
Tanta paz e alegria
Não perca essa fantasia
Instále-a no seu Ninho

Um abraço e boa Praia!

j/severino

obrigada
tenho saudades de rimar
bom domingo
abraços

severino
adicionei o
como disse que acompanhava minha filha
achei por bem adiciona lo,para poder comentar me qdo e se lhe apouver
um abraço e boa semana
luadoceu a 19 de Julho de 2010 às 15:29

"Dos tempos esta mistura
Nenhum deles é igual"
Adorei o poema e fiquei a reflectir, numa frase que muito se utiliza... Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades.

Bom fim de semana Severino
Um abraço
Rosinda a 16 de Julho de 2010 às 20:28

Os tempos que a vida tem
Todos juntos ou separados
No pensamento de alguém
Acabam sempre marcados

Bons e Maus e até esquecidos
Dá-lhe vida o pensamento
Em tempo de desalento
Também há tempos perdidos

Neste sem fim de tempos, escollhamos o da esperança, do amor e paixão...e vivamos a vida na sua melhor faceta!

Um abraço
j/severno



severino a 17 de Julho de 2010 às 11:18

Tudo bem! O Tempo é tempo,
Merece o nosso respeito
E toda a nossa atenção...
Mas dizer-vos que lamento
Quando ele voa como o vento...
Isso eu não lamento, não! :)

Abraço gde!
poetaporkedeusker a 19 de Julho de 2010 às 10:46

Não adianta...


Ainda que o leve o vento
Bem longe para o passado
Invade-me o Pensamento
Trás Tempo de todo o lado.

Saudações Cordiais
j/severino

Se, na verdade, esse tempo,
Teimando em ser o mais forte,
Nunca se deixa esquecer,
Pode tentar, como eu tento
Fazer do tempo o seu Norte
E usá-lo pr`aprender...

Não gosto de dar conselhos,
Nem de propôr soluções;
Cada um sabe de si,
Mas, não querendo ficar velhos
Não vamos dar-lhe razões
Pr`a ele se rir, como ri!

Um abraço! :)

Ah...Quando ele se ri eu disfarço
Finjo que não é comigo
Ele em julho e eu em Março
Fugido no tempo antigo

Fazer deste Tempo o Norte
Não lhe encontro muito jeito
No tempo falta-me a Sorte
Por azar ou por defeito

Só tenho uma soluçao
Esconder-me na Jangada
Encerro-me no porão
Ele passa e não dá por nada

Um abraço
j/severino


Mil vezes uma jangada
Do que um paquete, bem sei!
Também eu, quando cansada,
Me faço ao mar do que herdei...

Sou, contudo, friorenta
E, se pudesse escolher,
Rumaria, `inda que lenta,
A um outro Verão qualquer

Afinal é bem possível
Que seja fruto do tempo
Este ventinho terrível
Que, a mim, me rouba o alento...

Todos dizem ter calor
E eu, sempre a tiritar,
Tenho frio... e o pior
É que o Verão está a acabar...


Abraço :)

Todos os teus tempos são tempos diferentes e a todos tu ajustas com infinita sabedoria e conforme o momento uma postura de adaptação que só as pessoas inteligentes conseguem fazer.
Os teus versos são sempre um bálsamo.
Parabéns!
Beijos
Manu
Existe um Olhar a 19 de Julho de 2010 às 18:42

E....procuro:


No Tempo que já passou
Ou no outro Tempo perto
Não encontro o Tempo Certo
Que o Tempo Negro usurpou

Viver no Tempo da Esperança
Sem Tempo de olhar-se ao espelho
Vai-se o Tempo de Criança
Sem Tempo...Ficará Velho


Haja bons Tempos para mais uma semana

Um Abraço Manuela
j/severino
severino a 20 de Julho de 2010 às 10:02

há um senhor que vive aqui perto de mim que, todos os dias, quando me vê sair de casa para ir comprar o jornal me faz dois ou três versos e me deseja bom dia. quando li o poema, lembrei-me (:
Rita a 25 de Julho de 2010 às 02:00

mais sobre mim
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
15
17

18
19
20
21
22
23
24

27
28
29
31


pesquisar
 
blogs SAPO