Fevereiro 20 2011

Larguei do porto de abrigo

Terminada a tempestade

Com temporal não consigo

Navegar com liberdade

 

Das nuvens negras de então

Só restam no horizonte

Farrapos, soltos a monte

Que por certo, voltarão

 

Os "Deuses" dos temporais

Muitas vezes de improviso

Em ondas, contra os murais

Não nos dar qualquer aviso

 

 

Navego com terra à vista

Nesta jangada "batida"

Dessa tão forte tormenta

 

Num sonho dessa conquista

Deste meu estilo de vida

Que só um ingénuo, alimenta

 

 

publicado por severino às 10:38

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25

27
28


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO