Julho 10 2011

 

Eu já mudei de morada

Na hora, em que partiste

Era uma herança pesada

Em redor, tudo era triste

 

Dentro da mesma cidade

Fui morar, numa outra rua

Que tem de nome, saudade

E guardo em lembrança tua

 

Essa rua onde moravas

Deixou de ter luz e côr

Pensando, que não voltavas

Perdeu todo o seu esplendor

 

Se um dia quizeres voltar

Já não estarei por ali

Escuta no vento a passar

A mensagem que escrevi

 

Todos os dias te escrevo

No vento e de improviso

Até por vezes me atrevo

Meter nele o meu sorriso

 

Sei,...o vento não te importa

Só sentes, na tempestade

Qualquer brisa, me conforta

Sinto nela essa bonbade

 

A vida passa depressa

Temo, que não voltes mais

Fiquei sem essa promessa

Nestes dias sempre iguais

 

Vivo de esperança perdida

Na fantasia, eu lamento

Nesta solidão vivida

Meto as saudades no vento

 

J/severino         10JUL11

 

 

 

 

publicado por severino às 23:08

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15

17
18
19
20
21
23

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO