Julho 22 2011

 

Desce à terra sumidade

Não vivas  nessa loucura

Sem amor à humildade

Caminhas na desventura

 

1-

 

Ferve na "sabedoria"

Tudo inventa ou descobre

Do teu clan, "gente nobre"

Falas dele, noite e dia

São sêlo de garantia

No seu estilo tão preverso

Que ultrapassa a vaidade

São as contas do seu terso

Volta de novo ao teu berço,

Desce à terra sumidade!

 

2-

 

Tanta "Nobreza" inventada

Nessa "inteligência" rara

Na ilusão dessa tara

Sempre nessa caminhada

È única nessa estrada

Ninguém sabe,menos sente,

Na ofensa é indiferente

Que é filha dessa amargura

Sai dessa forma demente

Não vivas nessa loucura

 

3-

 

Da bigorna nada aprende

E agora já com idade

Com prazo de validade

Só ela mesmo é que entende

Destas leis da natureza

Que tira da perfundeza

Da sua sabedoria

È destra a sua verdade,

Mas abusa todavia

Sem amor à humildade

 

4-

 

Nesse teu caminho errante,

Onde sempre barafustas

Fazes papel de ignorante

Com tua maldade assustas

Não a mim, que te conheço

Por isso aqui permaneço

Nesta forma tão frontal

De água mole em pedra dura

Neste espaço, sempre igual

Caminhas na desventura

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por severino às 11:08

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15

17
18
19
20
21
23

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO