Novembro 23 2010

Tanta estranheza persiste

Num Arco Íris cheio de côr

Atrás de alguém que está triste

Há um Rosário de Amor

 

È assim nos temporais

Um ponto final aparece

Tantas cores desiguais

Têm o condão de uma prece

 

Segue-se um tempo de acalmia

Que é por Ele anunciado

Calmo cheio de fantasia

De um temporal que é passado

 

Num Alguém que em Solidão

Tem um Arco Iris de Amor

Muitas vezes prisioneiro

 

Num apelo ao coração

Alcança todo o explendor

Num elam de Amor primeiro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por severino às 10:58

mais sobre mim
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

15
16
18
19

21
22
25
26
27

28
30


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO