Setembro 17 2010

Com a chegada do Outono

Chega a paz à minha Ria

Isto do seu a seu dono

Trás de volta a alegria

 

Assim ao amanhecer

Há vida por todo o lado

Até o Mar azulado

Parece cheio de prazer

 

Estou de volta à Jangada

De regresso ao Paraíso

Longe da vida agitada

Que só nos dá prejuizo

 

Nas brisas frescas da tarde

Neste tempo, fim de verão

Com um Sol que ainda arde

Com nuvens em vermelhão

 

Na fresquinha maresia

Das águas em movimento

Velas ao sabor do vento

No rumo da fantasia

 

São sonhos de juventude

Desfraldados quase à sorte

Vividos na latitude

De ventos quadrante Norte

 

Velhas folhas de partida

Mais uma renovação

Em mais um ciclo de vida

Na primavera aí estarão

 

Nesta vida em baixa-mar

Com tanta paz quem diria

Tantas aves a cantar

Acabo em maré-vazia

 

 

 

publicado por severino às 12:26



Sentaqui sejas bem vinda
Há muito que te não via
Eu que estou por cá ainda
Nas marés da minha Ria

Tenho andado um pouco ausente
Nesta confusão metido
Com tanto excesso de gente
Nesta multidão perdidido

Só há dias me encontrei
Empurrei-me prá jangada
Nem sei por onde andei
E o que fiz na caminhada

Setaqui mas tem cuidado
Porque o Sol ainda é quente
Este Outono que é esperado
Pode escaldar muita gente

Volta sempre que quizeres
A bordo desta Jangada
Bem cheia de fantasia

Goza aqui destes prazeres
Sentadinha, bem sentada
No fresquinho da Maresia

Um abraço
severino a 18 de Setembro de 2010 às 13:36

mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
18

19
20
21
22
23
25

27
28
29


pesquisar
 
blogs SAPO