Setembro 24 2010

 

 

Sou viajante no Tempo

Com capa de peregrino

Viajo em asas do vento

Na rota do meu destino

 

Percorro Vales e Montes

E Estradas em correria

Bebo Água em todas as Fontes

Mergulhado em Fantasia

 

Em sonhos de Amor ausente

Com este Luar de Agosto

Imagino esse teu rosto

Tão Meigo, Triste e Carente

 

Contigo no pensamento

Tenho o peso da saudade

Que me estorva o movimento

E me rouba a felicidade

 

Vivo nesta teimosia

Neste rumo sem destino

Onde nada faz sentido

 

Numa promessa vazia

Que trago desde Menino

Neste percurso perdido

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por severino às 22:01

Olá Severino!
Espero que esta sua ausência se deva aos passeios que dá pela sua Ria...
é um gosto ler os seus poemas, já tinha saudades..
Bom fim de semana
Um abraço
Rosinda a 25 de Setembro de 2010 às 09:24

Olá amiga
Nada mais certo, esta Ria, gasta-me quase todo o tempo.
Mesmo assim com tempoo reduzido, ainda que não comente, o seu espaço tal como o da amiga Manu, é uma obrigação intuitiva ler tudo o que tão bem escreve e o seu contributo comunicativo que mantém na blogosfera faz-me inveja.
Tem mesmo o condão, de para todos os que por aqui nos encontramos, dirigir a sua palavra amiga.

Retribuo os desejos de bom fim de semana
Um abraço
j/severino
severino a 25 de Setembro de 2010 às 11:20

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
18

19
20
21
22
23
25

27
28
29


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO