Setembro 30 2010

 

 

Sou da Noite Companheiro

Ela é minha confidente

É dela esta Semente

Do meu signo marinheiro

 

Navego na tempestade

Na vida que Deus me deu

Na Noite desta Saudade

Em que nunca amanheceu

 

Noite escura como bréu

Que não conheceu aurora

Quase sem Estrelas no Céu

Estou com ela a toda a hora

 

Neste Mar de sofrimento

Mergulhado em solidão

Ela esconde o meu tormento

No seio da escuridão

 

Esta noite sem Luar

Bem fria quase gelada

Que tenho por companhia

 

Nesta Ria à beira mar

De esperança, já condenada

Deixa-me a Alma vazia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por severino às 00:08

Sozinho não
Um mais um
Que somos dois
Não há aqui qu´enganar

Peço perdão
Entrei sem permissão
E apeteceu-me comentar
Deixando um pouco de luz
Há noite que mesmo escura
Não deixa de ter luar

Talvez esteja escondida
Ou talvez envergonhada
Hoje um pouco mais fria
Por aqui está molhada

Já vi que gosta da ria
Não conheço bem Tavira
Mas na imagem que mostra
É uma companheira gira

Gira nem é seu nome
Dizem que é bem formosa
Fala com tanto gosto dela
Deve ser moça jeitosa

Uma



DyDa/Flordeliz a 30 de Setembro de 2010 às 02:24

Benvinda flordeliz

A bordo desta Jangada
Ancorada nesta Ria
Em noite sem madrugada
Ao sabor da Maresia


Seu nome flordeliz
Não parece de triteza
Parece Rosa Feliz
Produto da Natureza

Na Flor que me deixou
Tem encanto e Fantasia
È gesto de quem Amou
E conserva a simpatia

A minha Ria não é Bela
De paisagem até é Pobre
Embora um pouco Singela
Mas de Fauna é muito Nobre




Volte Sempre

Um abraço e Bom Fim De semana

j/severino

severino a 2 de Outubro de 2010 às 11:37

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
18

19
20
21
22
23
25

27
28
29


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO