Setembro 30 2010

 

 

Sou da Noite Companheiro

Ela é minha confidente

É dela esta Semente

Do meu signo marinheiro

 

Navego na tempestade

Na vida que Deus me deu

Na Noite desta Saudade

Em que nunca amanheceu

 

Noite escura como bréu

Que não conheceu aurora

Quase sem Estrelas no Céu

Estou com ela a toda a hora

 

Neste Mar de sofrimento

Mergulhado em solidão

Ela esconde o meu tormento

No seio da escuridão

 

Esta noite sem Luar

Bem fria quase gelada

Que tenho por companhia

 

Nesta Ria à beira mar

De esperança, já condenada

Deixa-me a Alma vazia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por severino às 00:08

E nesta noite de luar,
Onde o silêncio anda no ar.
Há esperança de um dia
Essa saudade apagar

Amanhecerá nesse mar
Com ondas de eterno vaivém
vivendo sempre a sonhar
com o sol que vem também
Com promessas de alegria
Que sempre a vida tem.

Bom fim de semana
Beijos
sentaqui a 1 de Outubro de 2010 às 21:13

Sentaqui nesta jangada
Observa tudo o que digo
Que noite sem madrugada
È parte do meu castigo

São saudades que carrego
Desta vida que sustento
Deste meu destino Cego
Neste rosario de tormento

Sentaqui eu te agradeço
Dos versos a fantasia
No meu sentido de aprço
Inundado em Siimpatia



Bem hajas e volta sempre
Um abraço


severino a 2 de Outubro de 2010 às 12:32

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
18

19
20
21
22
23
25

27
28
29


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO